Segundo a síntese estatística de habitação divulgada pela AICCOPN, até Fevereiro foram licenciadas 2.248 obras de construção e reabilitação de edifícios habitacionais pelas Câmaras Municipais, o que corresponde a um aumento de 18,8% em termos homólogos.

Relativamente ao número de fogos licenciados em construções novas, observa-se um crescimento mais expressivo, de 19,6%, em resultado do licenciamento da construção de 2.627 alojamentos novos.

Também o consumo de cimento no mercado nacional totalizou 436 mil toneladas o que traduz um aumento de 8,2%, face a igual período do ano anterior.

Outro destaque desta síntese de habitação, diz respeito ao stock de crédito concedido pelas instituições financeiras às empresas do sector da construção e imobiliário tendo-se verificado uma quebra de 2,7%, em termos homólogos. O mesmo aconteceu com  o stock de crédito à habitação concedido pelas instituições financeiras a particulares onde se verificou uma redução de 1,5%, totalizando 92,86 mil milhões de euros.

Quanto ao novo crédito concedido para aquisição de habitação registou-se a uma subida de 21,0%. Já no valor médio da avaliação bancária na habitação apurou-se, em Fevereiro, um aumento de 4,6% em termos homólogos, fixando-se em 1.160 euros por m2. Nos apartamentos, o valor fixou-se em 1.213 euros por m2, em resultado de um acréscimo de 5,2%, em termos homólogos. Nas moradias, o valor médio de avaliação bancária foi de 1.065 euros, o que traduz um aumento de 3,4%, face a fevereiro de 2017.

A região do Algarve, zona em análise neste estudo, foram licenciados 213 fogos em construções novas até Fevereiro, o que traduz um aumento de 17,0%, em termos homólogos. Destes, 42,7% são de tipologia T2 e 27,2% de tipologia T3. Quanto aos valores de avaliação bancária na habitação nesta região verificou-se, em Fevereiro, um aumento em termos homólogos, de 5,4% para 1.454 euros por m2.