De acordo com o Instituto Nacional de Estatística – INE, desde Novembro de 2016 (1,031%) que não se atingia o valor da taxa média de juro implícita dos contratos de crédito à habitação, sendo que em Abril subiu para 1,031%.

Trata-se da maior subida deste ano, tendo em Março aumentado 1,025%.

No que diz respeito ao destino de financiamento aquisição de habitação, o mais relevante no crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos foi 1,053%, mas nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro para aquele destino de financiamento passou de 1,556% em Março para 1,557% em Abril.

Já na  totalidade dos contratos, o valor médio da prestação vencida subiu um euro, fixando-se em 240 euros, mas nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação aumentou dois euros em Abril, atingindo os 326 euros.

No mês em análise, o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos aumentou 47 euros face ao mês anterior, fixando-se em 51.817 euros, mas para os contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida subiu 430 euros para 97.727 euros.