Compram um em cada cinco imóveis que se vendem em Portugal. Afinal, o que procuram os compradores estrangeiros no mercado imobiliário?

Segundo declarações de Luís Lima, presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), em junho deste ano, “em cada cinco transações, uma é feita por estrangeiros”.

Desde laços familiares a objetivos de rentabilização, passando pelo turismo rural – são várias as motivações que levam à aquisição de um espaço.

Eduardo Garcia e Costa, CEO da KW Portugal, afirma que “os estrangeiros compram em sítios onde os portugueses não o faziam, como nos centros históricos” e que a maioria dos que de facto adquirem imóveis o faz no Algarve, na zona Oeste acima de Lisboa ou em Cascais. O Porto também se encontra na lista de preferências, na qual outras cidades do país começam lentamente a entrar, à medida que são descobertas.

Acha que o seu imóvel pode interessar ao investimento estrangeiro? O que procuram afinal estes compradores?

Para além dos preços apelativos das cidades portuguesas em comparação com o resto da Europa: o clima, a segurança, a natureza, a tranquilidade e a cultura são fatores justificativos da cada vez maior procura estrangeira no mercado imobiliário português.

A isto soma-se claro a disposição de serviços como escolas, hospitais e clínicas, a existência de bons acessos rodoviários, a gastronomia, as ofertas comercias e a hospitalidade, simpatia e recetividade da população.

Ora, estas características são comuns à maioria do território nacional, o que explica a cada vez maior dispersão do investimento estrangeiro que já não se fica pelos grandes centros urbanos como Lisboa e Porto.

Por outro lado, em relação às tipologias de preferência, as mais procuradas são as T2 e T3. As nacionalidades dos principais compradores? Brasileiros e franceses são os que compram mais casas em Portugal.

Conclusões:

Tem um imóvel para vender? Por que motivo estaria um investidor estrangeiro interessado em adquiri-lo? Com que objetivo?

Podemos concluir que o principal fator a considerar é a localização, tendo em conta que é aquele que irá ter o maior peso na decisão e que é mais diferencial entre imóveis. Depois disso, são as características da habitação e o seu potencial, balanceados com o preço, que lhe permitirão concretizar um bom negócio.

No caso do Algarve, por exemplo, são tidos em conta a proximidade ao aeroporto, à praia e ao centro urbano, ao campo de golfe; a existência de piscina, jardim, terraço,  a vista e o estacionamento, os acesso.

Qual o primeiro passo?

Publique o seu anúncio no site do Imovirtual, onde mensalmente, mais de 100.000 utilizadores de origem estrangeira procuram imóveis. Estará dado o primeiro passo para um negócio de sucesso.

Leia também: Sabe como valorizar a sua casa na hora de a vender?