Sob o título “A Poética da Razão”, a 5.ª Trienal de Arquitectura de Lisboa vai decorrer entre 3 de Outubro e 2 de Dezembro de 2019 com cinco exposições, conferências e prémios.

A programação foi apresentada pelo presidente da Trienal, José Mateus, e pelo curador-geral, Éric Lapierre. Para esta edição, foi realizado um concurso internacional para a curadoria, tendo a equipa do arquitecto francês Éric Lapierre vencido o repto, num conjunto de proposta de 48 equipas – 14 delas de Portugal – de 16 países.

Na edição anterior, a Trienal de Arquitetura de Lisboa recebeu mais de 150 mil visitantes nas exposições, e teve 178 participantes de 38 países nas conferências e outras actividades, recordou José Mateus, acrescentando que o objectivo do evento dedicado à arquitectura contemporânea continua a ser “a celebração da arquitectura e o diálogo com o público”.

A equipa curatorial integra ainda Sébastien Marot (França), Ambra Fabi (Itália), Giovanni Piovene (Itália), Fosco Lucarelli & Mariabruna Fabrizi (Itália), Giovanni Piovene (Itália), Laurent Esmilaire (França), Tristan Chadney (França/Reino Unido) e Vasco Pinelo de Melo (Portugal).

José Mateus indicou o orçamento da próxima edição da Trienal, que serão de 950 mil euros, que reúnem apoios públicos e mecenas nacionais e estrangeiros.

Globalmente, a entidade disporá de 2,7 milhões de euros para a sua actividade ao longo de quatro anos, que inclui a realização da Trienal, e outras iniciativas entre as edições.

Sobre a programação, estão previstas cinco exposições, cada uma delas tomando uma dimensão particular do título, e que serão realizadas com entidades parceiras.