De acordo com a informação avançada pelo Banco de Portugal com base em inquéritos aos cinco maiores bancos a operar no mercado nacional, “no crédito a particulares, três bancos assinalaram um ligeiro aumento da procura de crédito para aquisição de habitação, enquanto uma instituição indicou uma ligeira diminuição da procura”.

Todos os bancos participantes no inquérito assinalaram critérios de concessão de crédito praticamente inalterados, face aos aplicados no último trimestre de 2017. Não obstante, “uma instituição indicou que as pressões exercidas pela concorrência de outras instituições bancárias e as perspectivas mais favoráveis do mercado da habitação, incluindo a evolução esperada dos preços da habitação, contribuíram ligeiramente para tornar os critérios de concessão de crédito à habitação menos restritivos”.

Contudo, o banco Santander Totta, que divulgou esta semana os seus resultados relativamente ao primeiro trimestre deste ano, revela nos três primeiros meses de 2018 a produção de Crédito Habitação aumentou 25% em relação ao período homólogo. Adianta ainda que as quotas de mercado da produção de crédito à habitação, foi de 23,2%.

Adianta também que em 2017 concedeu 17.030 milhões de euros para crédito à habitação, em Março deste ano subiu para 19.153 milhões, o que significa um aumento de 12,5%.