António Costa, primeiro-ministro português, anunciou a apresentação para este mês de novas medidas para assegurar “habitação acessível”, respondendo à denúncia da líder do BE de que a seguradora Fidelidade “está a preparar o maior despejo colectivo” feito em Portugal.

No debate quinzenal realizado na semana passada, a coordenadora do BE, Catarina Martins, questionou António Costa, sobre se o Governo “tem medidas para garantir a protecção de milhares de famílias em risco real de perder a sua casa”, uma vez que a “Fidelidade está a preparar o maior despejo colectivo jamais visto em Portugal”.

Segundo a agência Lusa, o primeiro-ministro respondeu que o Governo está  a acompanhar o problema. “Como sabe, uma das questões centrais do novo regime de arrendamento urbano foi que levou a precarização do mundo de trabalho para a precarização do direito à habitação e essa é uma das pesadas heranças que recebemos da maioria anterior”, salientou.

Na opinião de António Costa, “é necessária uma nova geração de políticas de habitação que assegurem habitação acessível”, anunciando que “esse conjunto de medidas irá ser apresentado durante o mês de Abril, em homenagem ao 25 de Abril e ao artigo 65 da Constituição que consagra o direito à habitação como um primeiro direito”.