O Palácio das Açafatas da Rainha, também conhecido por Palácio Centeno, na Alameda de Santo António dos Capuchos, no Campo de Santana, em Lisboa, foi colocado à venda pela Universidade de Lisboa.

A venda está sujeita à melhor oferta, sendo o preço base de 6,5 milhões de euros.

Segundo o anúncio de venda publicado no Diário da República, cerca de 10% do preço do imóvel terá que ser pago no momento de celebração do contrato de promessa de compra e venda, a título de sinal e princípio de pagamento. A restante quantia terá que ser paga no acto da escritura pública, conforme o estabelece o caderno de encargos.

Trata-se de uma venda que encontra na política actual seguida pela Reitoria da Universidade de Lisboa de vender algum património histórico para realizar meios financeiros que lhe permitam investir em realizações mais condizentes com as necessidades da academia, tais como as residências para estudantes e a reabilitação do Pavilhão de Portugal, no Parque das Nações.

As origens do palácio remontam aos finais séc. XVII/inícios séc. XVIII por ordem de D. Catarina de Bragança e destinava-se a acomodar as suas serviçais de quarto, denominadas à época por açafatas. O rico empresário Alberto Centeno viria a adquiri-lo no séc. XIX, altura em que o imóvel sofreu uma profunda remodelação, sob projecto do arquitecto italiano Nicola Bigagliaque.

Com três pisos e uma área de terreno de 1250 m2, as candidaturas e propostas para aquisição devem dar entrada até às 12h do dia 29 de Junho de 2018.