Como evoluíram os grandes números do imobiliário no Porto? Acompanhe-nos no balanço do último trimestre de 2018.

Com três variáveis em foco – a evolução do valor do metro quadrado, o valor do metro quadrado e ainda o rendimento bruto do arrendamento – a orientar esta avaliação, é possível determinar que o Porto é um polo urbano em constante crescimento.

Comparando com o período homólogo, Matosinhos domina o topo da lista das freguesias cujo preço do metro quadrado mais evoluiu. Seguida de perto por Vila Nova de Gaia e Vila do Conde. Em todas estas freguesias, a subida foi superior a 25%.

A média do crescimento do preço do metro quadrado no distrito é de 15,4%, e 7 das 18 freguesias do Porto ultrapassaram este valor-referência. Não será de estranhar que uma das cidades mais assomadas pelo turismo seja também das mais procuradas para habitação em Portugal.

A média do valor do metro quadrado é de 1.594€. Pela tabela em baixo é possível determinar que esta média é ultrapassada apenas no centro do Porto.

Porto 2.166€/m2
Matosinhos 1.480€/m2
Póvoa de Varzim 1.063€/m2
Vila Nova de Gaia 1.062€/m2
Vila do Conde 985€/m2
Maia 946€/m2
Penafiel 844€/m2
Gondomar 827€/m2
Santo Tirso 827€/m2
Valongo 778€/m2
Paços de Ferreira 727€/m2
Marco de Canaveses 724€/m2
Felgueiras 717€/m2
Trofa 700€/m2
Baião 692€/m2
Amarante 681€/m2
Cadaval 627€/m2
Lousada 615€/m2
Paredes 577€/m2

Avaliando a percentagem do rendimento bruto resultante do arrendamento (7,7%), este valor traduz um mercado também em expansão nesta modalidade. Quem opta por arrendar um apartamento consegue auferir, em média, 7,7% por ano do valor de compra desse imóvel. No entanto, em Valongo (9,2%) e Gondomar (8,6%), os arrendatários conseguem uma anuidade superior.

Por serem freguesias cujo metro quadrado não é caro, os investidores têm maior espaço de manobra para pedir rendas superiores e, consequentemente, conseguir uma percentagem mais favorável.

O Porto está no top dos 3 distritos portugueses com um maior aumento dos preços de compra de ano para ano. Ao lado de outros dois em crescimento exponencial: Lisboa e Ilha da Madeira.