Na compra de um imóvel, os particulares deviam exigir uma garantia que atestasse a qualidade do imóvel, tal como acontece actualmente com o certificado energético.

Um tema que tem originado a expansão da área de peritagem da Structure Value. A empresa de consultoria avança que têm sido cada vez mais abordados por investidores e particulares para a realização de peritagens, principalmente em Lisboa e no Porto. Trata-se de uma “due diligence”, que é uma norma numa compra/investimento de elevado valor, e, por isso, para os investidores essa diligência não é desprezada, pois querem saber especificamente o que estão a adquirir: “não basta parecer também tem de ser”.

Martinho Magalhães, responsável da área de Peritagens da Structure Value, adverte que “a elaboração de um relatório de peritagem é essencial para identificar as diferentes patologias existentes no edificado, de forma a chegar a um diagnóstico da origem de todos os problemas encontrados durante a vistoria, de forma a apresentar soluções, através da escolha de métodos e técnicas de reparação mais adequadas, ou simplesmente confirmar a boa qualidade de construção do imóvel”.

O especialista adianta que, por norma, as construções possuem defeitos de construção, que mais tarde ou mais cedo se tornarão visíveis, sobretudo devido à falta de manutenção no imóvel, noutros casos o defeito já está na origem. Nas cidades, o foco maior recai sobre os edifícios multifamiliares, uma vez que na falta de consenso entre os condóminos para a realização/não realização de obras de restauro/manutenção o edificado acaba por degradar-se mais rápido. Nas zonas periféricas são as moradias que carecem de maior atenção/preocupação do proprietário/comprador por diferentes razões/fins.