De acordo com os números avançados pelo Confidencial Imobiliário (CI), no ano passado entraram em processo de licenciamento no concelho de Lisboa, um total de 3.333 fogos, num aumento de 60% face aos 2.084 fogos que entraram em carteira em 2016.

O CI avança que no âmbito do sistema de Pipeline Imobiliário, estes fogos estão incluídos num total de 412 projectos, o que evidencia um crescimento de 27% comparativamente a 2016.

Entre os dez maiores projectos residenciais que foram submetidos a licenciamento em 2017 em Lisboa concentram, no total, 758 fogos, estando localizados em oito freguesias distintas. Existe ainda uma dispersão dos projectos entre as zonas mais centrais de Lisboa e as mais periféricas.

O estudo revela também que as freguesias de Arroios, Belém, Marvila, Misericórdia, Olivais, Santa Clara e São Vicente acolhem, cada uma, apenas um destes novos edifícios residenciais, incluindo o maior que se encontra em pipeline no concelho, com 13.000 m2 (nomeadamente nos Olivais). Apenas a freguesia de Santo António possui mais do que um destes edifícios, sendo destino de três destes dez projetos de grande dimensão, incluindo o segundo maior do concelho, com mais de 10.000 m2.

De referir que os dez projectos residenciais de grande dimensão são na sua maioria de construção nova (70% do número de edifícios), sendo ainda de destacar que os fogos T2 e os fogos T1 predominam na oferta, pesando cada tipologia um terço do stock de fogos distribuídos por estes dez projectos.