Sabia que pode transferir o seu crédito à habitação para outro banco? Leia aqui tudo o que precisa de saber e comece hoje a poupar!

Com as taxas de juros em níveis historicamente baixos, é possível que esteja a ponderar mudar de crédito à habitação. Esta mudança ou, por outras palavras, a transferência do seu empréstimo para outro banco, é um processo simples e rápido. Como tem sempre um custo associado, siga as nossas indicações e certifique-se de que toma a melhor decisão.

1º passo:  avalie a sua situação financeira.

Faça um diagnóstico às suas finanças. Como se encontra, neste momento, economicamente? A sua situação é estável?

Uma transferência de crédito, de um banco para o outro, funciona como um novo pedido de financiamento. A instituição bancária para a qual pretende mudar pode não aprovar o seu pedido se entender que não reúne as condições necessárias.

Não se esqueça de equacionar a taxa de esforço. Lembre-se que esta nunca deve ser superior a um terço do seu rendimento.  Ou seja, aquilo que vai gastar mensalmente com prestações bancárias deve ser inferior a 33% do seu rendimento.

Segundo passo: Saiba quais são as condições atuais do seu crédito.

Antes de se informar sobre as propostas de outras instituições bancárias, esteja a par das condições do seu financiamento atual. Caso contrário, não poderá fazer comparações.

É importante que saiba o valor de spread, taxas de juro, e de todos os encargos mensais com seguros, cartões de crédito, etc. Além disso, confirme também quanto vale a sua casa.

Terceiro passo: Conheça as condições de crédito à habitação praticadas no mercado.

Utilize simuladores bancários e faça um estudo aprofundado, se necessário junto das próprias instituições de crédito. O objetivo é comparar as propostas de vários bancos, tendo por base as taxas de juro de cada uma.

Para perceber se compensa mudar de crédito à habitação, transferindo a sua “dívida” para outro banco atente ao SPREAD, à EURIBOR, à TAE e à TAEG.

Quarto passo: Verifique quais os custos de transferência

Conte com o pagamento de uma comissão de reembolso antecipado, que varia entre os 0.5% e 2% do valor em dívida, conforme se trate de créditos a taxa variável ou a taxa fixa.

Imagine que pediu um financiamento de cem mil euros, a taxa fixa: o custo da comissão de reembolso pode ir até aos dois mil euros (100 000 * 2%).

Para além disso, poderão existir custos com a avaliação do imóvel, novas escrituras, etc. Sabia que alguns bancos estão dispostos a suportar os custos de transferência associados à mudança, parcial ou totalmente? Esteja atento a campanhas e condições especiais!

Quinto passo: Tome uma decisão.

Finalmente, depois de reunir toda a informação necessária sobre o seu crédito à habitação, as condições praticadas noutras instituições bancárias e de ter calculado os custos associados a uma eventual mudança, chega o momento de se perguntar: vale a pena mudar?

Se compensar transferir o seu empréstimo à habitação para outro banco, avance! O processo é simples e rápido. Basta que se dirija ao seu banco e peça a transferência do seu crédito.

No prazo de dez dias, o seu banco irá fornecer ao novo banco todas as informações e documentos necessários.

Poder-lhe-ão ser pedidos alguns documentos, nomeadamente a identificação dos titulares do empréstimo, última declaração do IRS e nota de liquidação da mesma, últimos três recibos de vencimento, declaração comprovativa da situação profissional dos titulares, etc.

O nosso melhor conselho é que se informe devidamente de todas as condições, custos e alterações que uma transferência deste tipo implica.

Desta forma não existirão surpresas desagradáveis e poderá poupar significativamente.