Há termos essenciais que todos devem conhecer se desejam poupar no Crédito Habitação. Quem não sabe o que estes significam arrisca-se a perder bastante dinheiro, dado que pode não perceber onde está a gastá-lo.

A plataforma de comparação de crédito habitação ComparaJá.pt em parceria com o Imovirtual apresenta 5 termos que o vão ajudar a perceber o que está escrito no seu contrato de financiamento imobiliário.

  • A TAEG é para onde deve olhar… sempre!

É a taxa de referência no que toca ao crédito habitação. Porquê? Porque inclui quase todos os custos associados a este financiamento. Neste incluem-se os encargos com juros, comissões bancárias e despesas processuais, mas também os custos processuais. Há, todavia, alguns encargos que não estão aqui refletidos. São, segundo o Banco de Portugal, os “os valores a pagar caso o cliente não cumpra obrigações previstas no contrato, as comissões de reembolso antecipado do empréstimo e os custos notariais”.

  • Afinal o que é o spread?

Spread, spread, spread. Os bancos focam sempre esta variável, embora só represente parte do custo do empréstimo. Porquê? Porque apenas diz respeito à margem de lucro do banco e deixa de fora todos os outros fatores que estão presentes na TAEG. Contudo, no spread importa separar entre o Spread Base, que é o standard dos bancos e o Spread Contratado que reflete a bonificação que advém de se contratar certos produtos do banco (como contas bancárias ou cartões de crédito, entre outros).

  • Montante Total Imputado ao Consumidor: decorou?

Quer saber a totalidade de quanto vai pagar ao banco pelo empréstimo? Então é olhar para o Montante Total Imputado ao Consumidor, mas conhecido por MTIC. Diz-lhe mesmo quanto vai pagar pelo crédito, uma vez que reflete a soma do montante do crédito acrescido dos respetivos custos com o mesmo (juros, comissões, impostos e outros encargos). É um valor avultado, mas não se assuste. É para pagar a vários anos.

  • Já ouvir falar na EURIBOR?

Associada ao Crédito Habitação está, não raras vezes, a EURIBOR. Mas o que significa e que impacto tem? A EURIBOR é a taxa interbancária utilizada pelos bancos como taxa de referência na maior parte dos empréstimos com taxa de juro variável. Há várias modalidades de EURIBOR que podem variar entre a 1 semana ou a 12 meses. Normalmente, no crédito habitação, é contratado este indexante a 12 meses. Em suma, a cada período dá-se uma revisão da taxa e o valor a pagar no empréstimo oscila de acordo com essa mudança.

  • Por último, um pouco de inglês: a importância do Loan-to-Value

O Loan-to-Value (conhecido como LTV) é um termo anglosaxónico importantíssimo para quem compra casa e pede crédito habitação. Refere-se ao rácio entre o valor de avaliação do imóvel e o valor do financiamento. Normalmente, os bancos estipulam um LTV de 80% a 85%. Isto é, numa casa cujo o valor de avaliação seja de 100.000 € o banco só empresta 80% a 85%, isto é financia entre 80.000 a 85.000 €. O restante deverá ser dado como entrada pelo cliente.

Isto serve para o banco ter uma “almofada” caso o cliente entre em incumprimento. Importa não esquecer que o crédito habitação é um crédito com uma garantia por detrás: o próprio imóvel. Assim, e não esquecendo que o imóvel desvaloriza com o tempo, ao ter aquela folga o banco precavê-se na eventualidade de voltar a ter o imóvel em carteira e ter que o vender por um valor menor do que aquele que valia quando fez o empréstimo.