Está a pensar mudar-se? Sair de casa dos pais? Ir morar sozinho ou com amigos? Viver com o seu companheiro/a? Na hora de decidir entre comprar ou arrendar uma casa, há muito a ter em conta, para evitar arrependimentos.

Sabemos que o mercado imobiliário em Portugal está em crescimento, sobretudo nas grandes cidades como Lisboa e Porto. Os preços dispararam e a previsão é que continuem a crescer. O preço dos apartamentos para arrendamento subiu 26% em 2017 em comparação com o ano anterior, sendo que a maior procura se registou em Lisboa, Porto, Sintra, Cascais e Amadora. O aumento dos preços é uma tendência que se tem verificado pelo menos desde 2014.

Por outro lado, paralelamente ao aumento das rendas, as taxas de juros dos créditos à habitação estão em níveis historicamente baixos, com os bancos a facilitar o investimento. O que não quer dizer que os imóveis estejam a baixar de preço, mas sim que é possível conseguir prestações menores.

No entanto, se este é ou não o momento adequado para arrendar ou comprar casa, não está aqui em questão, visto que o essencial para já é entender as diferenças entre as duas modalidades e as suas vantagens e desvantagens.

Qual a opção certa para si?

Em primeiro lugar a sua situação económica poderá automaticamente excluir uma das opções. Ou seja, é importante estar ciente das condicionantes de uma ou outra. Comprar casa, ainda que com recurso a crédito, implica um investimento inicial, normalmente na ordem dos 20% (do valor da avaliação do imóvel). Portanto, se neste momento não dispõe de grande liquidez pode procurar possibilidades de financiamento a crédito em 100% mas, caso não encontre, desista desta ideia, por enquanto.

image2

Arrendar implica um menor esforço financeiro inicial. O investimento será nulo no caso de não ser exigido o pagamento de rendas em adiantado. Desta maneira, a melhor forma de tomar uma decisão deste tipo é elaborando uma tabela de prós e contras.

Prós, contras e um guia para decidir

Resgatando o exemplo acima, se não está em condições de investir, a dúvida já não se coloca, uma vez que comprar casa deixa de ser opção. Por outro lado, se existe capacidade de investimento, será necessário balancear o que para si é mais importante. Criámos um guia simples para que saiba se esta é altura de comprar ou arrendar casa.

Arrendar Comprar
Investimento inicial Pode ser necessário o adiantamento de um valor, correspondente a um número de rendas, por exemplo. Não será, no entanto, comparável ao valor em caso de compra do imóvel. Será, certamente, necessário um investimento inicial significativo.
Estabilidade Embora existam arrendamentos a longo prazo, a permanência na casa estará sempre dependente da vontade do senhorio. Comprar permite uma maior estabilidade, pois a permanência na casa depende unicamente de si e, no caso de empréstimo, do pagamento das prestações.

Opção mais vantajosa para quem deseja uma casa por um período igual ou superior a três anos.

Liberdade para fazer obras/ alterar o espaço a gosto Como o imóvel não é seu, a liberdade para alterar aquilo que não lhe agrada é muito limitada. Total liberdade.
Património – possibilidade de reaver o investimento Um imóvel arrendado nunca será seu, independentemente de pagar a renda uma vida inteira. Estará a pagar por algo que no final será seu, ou seja, que se converterá num activo/património. Assim, através da venda pode reaver parte ou o todo do seu investimento, consoante o mercado.
Despesas adicionais – condomínio, IMI, obras, seguros, manutenções, etc. Não terá preocupações neste sentido. Terá a seu cargo todas as despesas adicionais relacionadas com a sua habitação.
Valorização/Desvalorização do imóvel Não terá de se preocupar com esta questão, a menos que se venha a refletir na renda. O facto de adquirir um imóvel e deste se tornar sua propriedade permite que o venda posteriormente. A variação do valor das casas, pode fazer com o mesmo valorize ou desvalorize.

Contudo, ainda que desvalorize, poderá ter algum retorno do investimento.

Mobilidade Se não se encontrar satisfeito com o imóvel poderá mudar-se, sem contrapartidas. A mobilidade é significativamente menor do que no caso de arrendamento, sobretudo se a aquisição do imóvel for realizada com recurso a crédito.

 

Em suma, defina prioridades, pondere e tome uma decisão consciente, depois de analisar estas ou outras variáveis. Consulte preços, analise o mercado imobiliário da zona onde pretende comprar ou arrendar casa e faça as suas contas.

No site do Imovirtual encontra milhares de oportunidades de negócio, quer para arrendar ou comprar casa e informações relevantes no descritivo de cada anúncio. Ainda assim, pode sempre recorrer ao apoio de profissionais, que o ajudam no momento de tomar uma decisão.