Às vezes não dá para adiar. A casa tem infiltrações, o telhado precisa de reparações, as canalizações necessitam de uma “mãozinha”, a remodelação da cozinha é para ontem. Tem que recorrer a obras ou remodelações. E é provável que precise de assumir um empréstimo para obras para cobrir estes gastos.

Há várias maneiras de conseguir crédito para financiar este propósito. Ou seja, há pelo menos 3 tipos de crédito que podem ser utilizados neste sentido. São o crédito especializado para obras ou remodelações, o crédito pessoal sem finalidade e o crédito habitação. Conheça tudo neste artigo que o ComparaJá.pt preparou para o Imovirtual.

  1. Crédito para remodelações: financie-se até 50.000€

Certas instituições apresentaram um novo tipo de crédito para obras e remodelações. Com um montante alcançar os 50.000€ (começando nos 2.500€), serve para pagar as despesas nas pequenas e grandes remodelações do lar. E, variando de acordo com o valor pedido, o prazo pode ser alargado até aos 120 meses.

Este crédito tem vantagens: nomeadamente, o financiamento é a 100% (não tem que dar entrada com dinheiro próprio), tem um seguro facultativo de proteção ao crédito, além de ter um processo de aprovação rápido (em 48 horas). Não tem também despesas de contrato nem obrigatoriedade de subscrever outros produtos.

  1. Crédito pessoal sem finalidade: liberdade no investimento

Outra alternativa para quem quer conseguir financiamento para fazer obras ou remodelações é o crédito pessoal sem finalidade. É um crédito ao consumo, mas com uma característica diferenciadora: como o próprio nome indica, não precisa de justificar o seu fim. E como é que isto faz diferença para quem pede um empréstimo para obras em casa? Neste caso não precisará de enviar um orçamento para o banco a justificar os gastos, coisa que pode ser necessária nas outras opções.

  1. Alargar o crédito à habitação e conseguir uma nova “tranche”

Há uma terceira opção para que quer crédito para fazer obras ou remodelações. Caso possua um crédito à habitação (dica extra: se vai pedir um financiamento imobiliário importa conhecer de antemão os custos em que pode incorrer), pode negociar uma nova “tranche” que cubra o valor necessário. Todavia, há algumas condições que podem tornar mais fácil a atribuição de crédito: por exemplo, ter uma boa relação com o banco (traduz-se num bom historial de crédito sem pagamentos falhados nas obrigações que já contraiu na instituição respetiva) ou ter dado uma boa entrada inicial aquando do pedido inicial do crédito imobiliário.

Concluindo, e apesar de haver alguns créditos que não o exijam, importa sempre preparar uma orçamentação cuidadosa das obras que fizer. É meio caminho andado para poupar nas obras e não ter “surpresas” de última hora.