A maioria das grandes multinacionais preocupa-se com o ambiente e com a arquitectura exterior e de interiores. Elevados níveis de produtividade são alguns dos objectivos prioritários das empresas e que podem ser aumentados através da harmonia nos locais de trabalho.

Empresas como a British Airways ou a The Body Shop, aderiram à ideia de que a reorganização do espaço e da decoração através da técnica do feng shui é fundamental para a obtenção de lucros. Para que se perceba melhor, o vermelho e o amarelo dos restaurantes MacDonald’s atraem os clientes e as formas em ângulos direitos, assim como as matérias duras impedem-nos de permanecer demasiado tempo no local.

O feng shui é uma ciência ambiental milenar, com origem na China. Estuda a influência do espaço no nosso bem-estar e a forma como os locais onde vivemos e trabalhamos se reflectem no modo como sentimos.

As cores são fundamentais no feng shui, bem como as formas e os materiais mas a orientação de qualquer edifício e a disposição dos móveis desempenham um papel igualmente importante na circulação do Chi que significa energia vital.

Por exemplo, na China, é impensável projectar um edifício sem que se consulte um técnico de feng shui. Lembramos o Banco de Hong Kong onde o seu principal trunfo é a direcção cardeal. A instituição comprou até o espaço situado na frente do prédio e doou-o ao Governo na condição de que nada seria construído naquele local. O Banco da China tem sob a sua base quadrada ramificações triangulares que concedem a impressão de objectos cortantes, ferindo o feng shui de outras construções rivais.

Em Portugal as empresas começam a perceber que o ambiente no local de trabalho é importante para melhorar o desempenho dos seus trabalhadores. A intervenção pode ser realizada a vários níveis, desde logo na sua construção, a mais indicada, ou então apenas na decoração e disposição dos espaços. A definição de formas, cores, materiais e texturas a utilizar, bem como a localização das luzes, das plantas, dos cristais ou das esculturas, são algumas das intervenções que criam um ambiente com energias positivas e produtivas.

A utilização dos cinco elementos

Todos os fenómenos estão interligados e o homem e as suas acções não estão separados do espaço nem do tempo. Qualquer alteração no ambiente em que vivemos vai modificar a energia do espaço que por sua vez, vai interagir com a nossa própria energia. O equilíbrio pode ser alcançado pela utilização dos cinco elementos, madeira, fogo, água, terra e metal, e a junção do Yin e Yan, que representam os opostos. Através do Feng Shui, aplica-se a arte de distribuir coisas no espaço para promover o fluir de energias e o equilíbrio ambiental e espiritual. A casa é um prolongamento da vida, e se seguir estas orientações, harmoniza-se o espaço.

Um bom Feng Shui é aquele que nos ajuda a entrar em sintonia com o movimento do

Universo. Como disse o pensador Takashi Yoshikawa “ Se nos movermos de acordo com o movimento do Universo obtemos bons resultados, quando nos movemos contra a corrente do Universo temos problemas”. Devemos por isso, caminhar na procura do equilíbrio e da harmonia.